sábado, 1 de setembro de 2012

Eu cá gosto de escolher sozinha o que quero vestir

Se há coisa que eu detesto que os outros me tentem fazer são os chamados "arranjinhos". 

"Ah e tal, o não sei quantos pediu-me para combinar aí umas cenas contigo,  podíamos ir aí todos não sei quê e não sei que mais, e assim ele vai e tu também, e conhecem-se melhor e rebeubeubeu pardais ao ninho”.

Não, não e não. Meus amigos, esqueçam lá isso. Nestas coisas eu sou muito eu, e eu, e eu, e isto tem de ser tudo feito à minha maneira. Primeiro, se a pessoa me interessasse minimamente, nem sequer seria preciso virem os amigos tentar aproximações. Eu sou demasiado óbvia. Se alguém me interessa, nota-se à distancia. E, normalmente, sou a primeira a tentar criar as aproximações necessárias. Se  não as crio, ou  é porque tenho algum motivo para não o fazer, ou porque simplesmente não me interessa, e em qualquer um dos casos nem vale a pena virem os outros tentar interferir seja no que for. Segundo, eu gosto muito de discrição na minha vida pessoal. Dificilmente me meteria numa história que, desde o início, tem ali uma claque de apoiantes sempre atentos aos desenvolvimentos.  

"Correu bem? Foram sair? E então? Têm estado juntos? Como é que isso vai? Oh que fixe! Oh que chatice! Olha que bom! Olha que treta!"

Naaaaaa... nem pensar, não quero cá nada disso para a minha vidinha. Esqueçam lá isso, a sério. Passem à frente, escolham outro alvo, dediquem-se a outros carnavais, que das minhas palhaçadas trato eu.

16 comentários:

  1. sou igualzinha. nao gosto de arranjos, de cenas orquestradas, gosto da espontaneidade, simples assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isa,

      É isso, espontaneidade:) E principalmente que seja alguém que nos interesse.

      Eliminar
  2. Subscrevo, sem tirar nem pôr! ;)

    ResponderEliminar
  3. Há gente muito casamenteira... irritante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sei que, neste caso, não o fazem por mal. Tiveram foi azar no alvo.

      Eliminar
  4. Tb sou assim...nada de tentarem me impingir X ou Y... e detesto k venham cuscar a minha vida...qt + kiserem saber, - saberão.... xiça!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manu,

      A questão é que quando se trata de alguém que faz parte do nosso círculo de amizades (mesmo que indirectamente), há sempre coisas que acabam por saber. E eu não gosto dessas misturas, exactamente por isso.

      Eliminar
  5. Coitadinhas(os) só te querem ajudar. hihihi
    "you're ass", deixem-me em paz. Apre

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se quiserem ajudar o outro, a mim não é de certeza!:)

      Eliminar
  6. Nem sempre os arranjinhos são maus! Já fiz muitos e resultou! às vezes basta um empurraõzinho. Como é obvio que uma pessoa como tu dificilmente se vai num arranjinho, mas a culpa é da pessoa que faz isso e não te sabe analizar. provavelmente a ti.. nunca faria isso porque já sabia o resultado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulo,

      Concordo que funciona com muita gente. Há quem esteja sozinho, disponível e à procura de alguém. Há quem seja até um bocado tímido e precise desses empurrões. Há quem não conheça ou não tenha oportunidade de conhecer muita gente, e muitas vezes têm de ser os amigos a "trazer" alguém novo e criar a oportunidade. Mas nada disto tem a ver comigo.

      Eliminar
  7. olha eu não tenho coragem para dar "os primeiros passos", meter conversa e tal!

    ResponderEliminar
  8. tal e qual, tenho uma amiga que na semana passada me disse: tenho um amigo que é um bom partido e que está sozinho, já lhe falei de ti e tudo.... Eu olhei logo de lado para ela e pensei: pronto este já está cortado!!! Não suporto estas coisas!

    ResponderEliminar
  9. Infelizmente é um mal da sociedade!! :)

    ResponderEliminar
  10. E mais uma vez, subscrevo inteiramente!

    ResponderEliminar